terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A Saga da Jaca I: Torta de jaca

Saga da Jaca? Que???
Bem, é o seguinte: minha mãe adora jaca, e neste feriado comprou meia jaca dura. Parecia pouco, mas ao começar a retirar os gomos, cada hora ia saindo mais e mais jaca, nunca parava... Resultado: demos jaca para a minha avó, para o meu vizinho, ficamos com uma tigela enorme de jaca e acabei fazendo de tudo um pouco com ela.


A primeira receita foi uma torta doce, que ficou muito boa! Aliás, eu nunca fui boa com tortas doces, mas devo admitir que ultimamente tenho me saído cada vez melhor!
A Saga da Jaca incluirá ainda, nos próximos posts: mousse de jaca com iogurte, caroço de jaca cozido (e suas receitas possíveis) e alguma receita salgada que eu ainda não decidi, hih.

Para o recheio da torta, você vai precisar de:

2 xícaras de jaca sem caroço (guarde os caroços, por favor!)
1 banana (a sua favorita, qualquer tipo serve)
2 colheres de sopa cheias de geleia de banana
1 colher de sopa de amido de milho
1/2 xícara de castanhas de caju
2 colheres de sopa de iogurte natural
Canela em pó e essência de baunilha a gosto
Sumo de meio limão
Granola para cobrir (opcional; você pode substituir por coco ralado, aveia em flocos, castanhas, etc.)

Para a massa:
1/2 pacote de biscoito doce (usei tipo sequilho, mas você pode usar tipo "Maisena", "Maria", etc.)
1 xícara de chá de castanha de caju
1 colher de sopa de farinha de linhaça dourada
1/2 xícara de água
1 colher de sopa de margarina
Açúcar, se necessário (não usei)

Como proceder:
Comece fazendo a massa: no processador, triture os biscoitos e as castanhas, fazendo uma farinha rústica. Hidrate a linhaça na água. Coloque a farinha de biscoitos numa tigela, e misture nela a linhaça hidratada, fazendo uma farofa úmida. Adicione a margarina, misturando homogeneamente também, e, se achar necessário, adoce mais a massa.


Distribua a massa (que vai estar parecendo ainda uma farofa bem úmida, mas moldável) no fundo de um refratário e espalhe bem com um garfo ou colher. Depois, amasse com as mãos para nivelar. Deixe um pouco de massa dos lados do refratário também, para que o recheio fique retido.
Deixe a massa na geladeira enquanto faz o recheio.
A TAL da farofa úmida!
Pique a banana e regue com o limão. Reserve. No processador, coloque metade da jaca, a geleia e a banana (e o caldo de limão). Triture bem, até formar uma pasta. Adicione também o amido de milho, o iogurte, a canela e a baunilha. Quando a mistura estiver parecendo um purê bem homogêneo, adicione o resto da jaca e as castanhas, e vá triturando aos poucos, usando o pulsar para não desmanchar completamente.

Geleia de banana e jaca.

Adicione o creme de jaca e banana sobre a massa, nivele bem, e cubra com açúcar e canela e adicione a cobertura da sua preferência (granola, castanhas, coco, etc.).

Com açúcar + canela e granola.
Leve ao forno pré-aquecido por, em média, 25 minutos, ou até o creme do recheio ficar douradinho.
Sirva preferencialmente fria.


Obs.: como tanto a jaca quanto a banana são frutas super doces, e ainda usei geleia, não coloquei NADA de açúcar no recheio. Mas se você experimentar o creme antes de colocar sobre a massa e achar que poderia ficar mais doce, adoce à vontade!

2 comentários:

  1. Olá Priscila,
    Durante minha infância comia muita jaca, mas gosto muito, o bolo ficou com a aparência muito bonita, apetitosa.
    Beijo,
    Vânia

    ResponderExcluir
  2. incrível. nunca tinha pensado em nada com jaca. deve ficar uma delícia! adoro suas idéias!

    ResponderExcluir