sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Sorvete de banana, abacate e manteiga de amendoim (e nada mais!)

Eu ADORO abacate. Sério. Desde criança eu já virava copos e copos de vitamina de abacate. Aquela textura cremosa, cor exótica e sabor intenso sempre me fascinaram. Depois de passar um tempo nos EUA, onde a cultura mexicana de usar abacate na culinária já tomou conta, eu acabei de acostumando a comer abacate também no meio da salada, no sanduíche ou até mesmo em forma de patê. Hoje, se tem abacate em casa eu fico inspirada pra usá-lo o dia inteiro, do café da manhã ao jantar. Por mim, comia 1 abacatinho por refeição!


Pra fazer essa receita, você só precisa deixar as frutas congeladas com antecedência. Uma ideia interessante é congelar várias bananas em rodelas separadas em saquinhos de congelar. O mesmo serve pro abacate: corte-o em cubinhos, coloque no saquinho e guarde no freezer. Repita o procedimento pra cada banana e cada abacate. Dessa forma, fica mais fácil na hora de usar e você sempre vai saber a quantidade certa. Originalmente, eu usei banana prata, que é bem pequena, mas se você usar uma banana maior, a única diferença será na proporção abacate X banana, pois o abacate Hass tende a ser quase sempre do mesmo tamanho. Mas se você gosta de banana E de abacate, não tem porque se preocupar com isso, né?
Além das frutas e da manteiga de amendoim (que você pode não usar, mas ela ajuda o processamento e melhora a textura final), você pode ainda "temperar" o seu sorvete como quiser: com canela, cacau em pó, coco ralado, essência de baunilha...

Você vai precisar de:
1 banana
1 banana congelada
1 abacate pequeno (tipo Hass) congelado
1 colher (sopa) de manteiga de amendoim

Como proceder:
Leve ao processador as frutas congeladas. Adicione a banana fresca em rodelas e a manteiga de amendoim.
Processe até ficar homogêneo. Você pode deixar que fiquem alguns pedacinhos de fruta congelada, se quiser. pra que ele fique mais rústico.

Rendimento:
2 porções

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Brownie sem farinha (de feijão)

De volta à minha terra! De volta às experiências e à resiliência da minha cozinha!
Vai um brownie sem farinha de trigo? Sem aveia? Sem glúten? Acha farinha de amêndoa muito cara? Que tal feijão no lugar disso? Estranho? Sim, mas eu tentei e deu certo! Tipo, MUITO certo. Do tipo que ficou apenas o melhor brownie que já comi. Sério. E eu que não tinha feijão, fiz com grãos de soja eca! e ficou MARAVILHOSO mesmo assim. Precisa de mais provas? Acho que não, né?
Adaptei a receita daqui.



Você vai precisar de:
1 e 1/2 xícara - 1 e 3/4 - de leguminosas cozidas sem sal*
3 ovos grandes
2 colheres (sopa) de manteiga/margarina (+ pra untar)
1/4 xícara  de achocolatado em pó (se usar cacau, aumente o açúcar em 2 colheres de sopa)
1/4 colher (chá) de sal
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
1/2 xícara açúcar ou substituto
1/2 xícara de coco ralado
200g (1 barra) de chocolate AMARGO ou MEIO-AMARGO picado derretido
+- 50-100g de chocolate AMARGO ou MEIO-AMARGO picado (ou gotas) pra misturar na massa
50g nozes picadas

Como proceder:
Comece untando a forma (de 20x20, mais ou menos) com manteiga. Reserve.
Pré-aqueça o forno a 200C.
Derreta os 200g de chocolate e reserve.
No processador, coloque: ovos, margarina, achocolatado, sal, baunilha, açúcar, coco e bata até uniformizar. Sem parar de processar, adicione o chocolate derretido.
Se no início a massa parecer muito líquida, apenas continue batendo. Usar a margarina/manteiga sem derreter ajuda a emulsionar a massa e deixar ela mais firme.
A massa deve ficar com textura de mousse, com cara gordurosa e com furinhos.
Transfira a massa para uma tigela, misture o chocolate restante e as nozes. Passe tudo para a forma já untada e leve ao forno por 35 minutos.
Faça o teste do palito e desligue o fogo. Deixe o brownie esfriar lá dentro.
Corte em pedaços apenas quando frio.

* Bom, usei soja em grãos, cozida na panela elétrica só com água, canela em pau e umas gotinhas de vinagre pra ajudar a tirar o gosto horrível característico da soja. Você pode fazer o mesmo com feijão carioca, preto, ou branco (ou ainda a soja preta). A medida de 1 xícara e meia serve bem pro feijão, mas a soja tem menos amido, então precisou um pouco mais - por volta de 1 xícara e 3/4.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Receitas from US: nut bars

O nome dessa receita deveria ser AWESOMENESS BARS. Porque elas levam mais tudo-que-há-de-bom do que as Meninas Superpoderosas. Já havia feito "paleo" bars com frutas secas e castanhas antes, mas essas são praticamente uma sobremesa, de tão boas. Já até imagino comer isso com sorvete de creme, mas daí eh... não é low-carb. Achei uma receita num blog paleo, mas como foi no celular, eu perdi a original, sorry. Essa receita não rende muuuitas barrinhas/quadradinhos, mas é o suficiente pra você testar a receita. Da próxima vez vou colocar algumas coisas diferentes pra mudar o sabor (não que já não esteja incrível).


ATENÇÃO: apesar de serem um ótimo lanchinho on-the-go, tome cuidado com as barrinhas por elas conterem óleo de coco. Em temperaturas mais amenas (ou na geladeira), ele fica sólido, mas se esquentar, as barrinhas vão ficar molengas e podem fazer meleca! Uma dica pra quem não quer lidar com o problema do óleo de coco é substituí-lo por manteiga de cacau pura ou chocolate amargo... Mas fique ciente que o sabor muda!

Você vai precisar de:
1/2 xícara de castanhas 1 (usei castanhas do Pará)
1/2 xícara de castanhas 2 (usei castanhas de caju torradas)
1/4 xícara de farinha de amêndoa
1/4 xícara de coco seco sem açúcar (usei queimado, yummy!)
1/4 xícara de nut butter, de preferência salgada
1/4 xícara de óleo de coco derretido
1/4 xícara de mel
1/2 xícara de frutas secas (usei cerejas, mas pode ser uva passa, ameixa, damasco, etc)
1/2 colher (chá) de sal (se você não usou a nut butter salgada)
Canela em pó a gosto

Como proceder:
Passe as castanhas no processador. Não processe demais, tente deixar uns pedacinhos.
Passe as castanhas processadas para uma tigela e misture ao coco e à farinha de amêndoa.
Em outra tigela, coloque o óleo de coco, a nut butter e o mel, e leve ao microondas por mais ou menos 35 segundos, ou até estar tudo mole e "derretido". Misture bem com um fouet. Reserve.
Leve as frutas secas ao processador rapidamente pra "quebrar" em pedacinhos menores. Se você usar damascos ou figos, é bom picá-los antes de processar.
Junte as frutas na tigela de castanhas, adicione a parte líquida e misture bem.
Adicione sal, se necessário. Eu nem coloquei, pois além da nut butter ser salgada, minhas castanhas de caju também tinham sal.
Forre uma forma quadrada/retangular (mais ou menos do tamanho de uma forma de bolo inglês) com plástico filme. O tamanho da forma vai determinar quão grossas as barrinhas/quadradinhos vão ficar.

Parece que não vai dar certo, mas depois endurece!

Despeje a mistura e espalhe uniformemente, pressionando bem com uma colher para que fique bem compacto. Você pode, ainda, polvilhar coco por cima, ou o que mais você quiser usar pra "enfeitar" e ajudar a compactar suas barrinhas.
Cubra com plástico filme e leve à geladeira por pelo menos uma hora antes de cortar.


terça-feira, 18 de março de 2014

Receitas from US: Edamame Spread

Edamame é um negócio muito trendy nas famílias saudáveis nos Estados Unidos. Nada mais é que um grão de soja verde, que normalmente é vendido pré-cozido e congelado (mas também é vendido em forma de snack) nos mercados. Apesar de ser um "bean", ou seja, um "feijão", um tipo de leguminosa - e naturalmente conter uma quantidade razoável de amido - o edamame é campeão de proteína quando comparado a quase qualquer leguminosa. Essa receita, por exemplo, fica com 5 gramas de carboidratos e 6 de proteínas. Adaptada de uma receita da revista Cooking Light.


Esse spread fica bem parecido com o dip de semente de girassol. Como o edamame tem menos sabor que a semente de girassol, o sabor final depende mais dos temperos que você usa. Você pode aumentar a quantidade de manjericão, trocar por salsa e cebolinha ou outras ervas, ou fazer um pout-pourri. Você pode adicionar também seus temperos secos favoritos do tipo Sazón, glutamato monosódico, curry, enfim.

Você vai precisar de:
2 xícaras de edamame congelado sem casca
3 dentes de alho
1 punhado (aprox. 1/2 xícara) de manjericão basilicum fresco
2 colheres (sopa) de amêndoas sem pele
2 colheres (sopa) de coalhada seca 
1/4 xícara de água
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 colher (sopa) de sumo de limão
Sal e pimenta a gosto

Como proceder:
Se possível, retire o edamame do freezer com pelo menos meia hora de antecedência e deixe descongelando.
Numa frigideira grande, coloque o azeite, aqueça, e frite 2 dentes de alho amassados.
Antes que o alho fique completamente dourado, adicione o edamame todo de uma vez.
Misture bem e abaixe o fogo. Quando o edamame começar a soltar água, cubra-o com água morna e deixe cozinhar por 1-2 minutos.
Desligue o fogo, escorra e reserve.
Adicione no copo do liquidificador ou processador: 1 dente de alho, o manjericão, as amêndoas, a coalhada. Adicione o edamame cozido e escorrido.
Processe até virar uma pasta, adicionando a água aos poucos.
Finalmente, adicione o limão, o sal e a pimenta, processe mais um pouco e guarde num recipiente com tampa na geladeira.
Sirva frio, com talos de salsão ou pepinos cortados em tirinhas; ou ainda em sanduíches, torradas ou wraps.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Receitas from US: Hazelnut butter

Aqui nos EUA é MUITO comum comer nut butter: manteigas de amendoim, de amêndoa, de castanha de caju, de semente de girassol (mesmo não sendo nut). Elas são largamente encontradas em qualquer mercado, mas também tem muita gente que gosta de fazer em casa, sem conservantes nem outros aditivos (principalmente açúcar, que vai aos montes nas versões industrializadas).
Pensando em fazer um brigadeiro de avelãs, resolvi fazer uma que nunca vi pra vender: hazelnut butter. O que seria, pra ser bem simplista, uma Nutella sem chocolate. Eu, particularmente, já amo o sabor da avelã pura - me lembra Ferrero Rocher e Nutella por si só - então fiz uma quantidade boa não só pra adicionar ao brigadeiro, mas também pra comer como um dip (já que eu tenho evitado comer pão e torrada) pra frutas ou pra misturar no smoothie ou iogurte.
Ficou muito boa! A textura beeem cremosa, que forma fios (menos pastosa) não é difícil de obter, quanto mais você processar, mais óleo a avelã solta. Se você gostar dela mais pastosa e com pedacinhos, processe menos. Nas receitas que vi por aí dizia pra processar por 4-5 minutos, mas eu não contei porque estava distraída fazendo outra coisa ao mesmo tempo até porque eu usei um liquidificador*, não um processador.
OBS.: essa manteiga de avelã NÃO é doce! Se você gosta de doce de verdade, fique à vontade pra acrescentar açúcar ou adoçante, mas ela é boa assim. Pra quem gosta de uma coisa levemente doce, eu recomendo colocar canela em pó!


Você vai precisar de:
3 xícaras (chá) de avelãs sem casca (e sem pele, de preferência)
1 pitada de sal (usei sal de erva-doce por ser mais adocicado)


Como proceder:
Se você for usar o liquidificador, recomendo que você faça o processo usando 1 xícara de avelã por vez, pra facilitar o trabalho do aparelho. No processador, se o copo for grande o suficiente pra toda a avelã, it's ok colocar tudo de uma vez.
Primeiro, separe 2/3 da avelã e coloque numa tigela que possa ir ao microondas. Reserve o resto.
Leve os 2/3 da avelã ao microondas por 1-2 minutos (eu coloquei 1 minuto pra cada xicara).
Coloque a avelã quente no copo do liquidificador, tampe e ligue em potência máxima. Quando a avelã já estiver parecendo uma farofa, diminua a potência e deixe batendo por alguns minutos mais lentamente (sempre use uma espátula de silicone pra ajudar a desgrudar as massas de avelã que não estão se movendo). Você pode ir desligando o liquidificador de 1 em 1 minuto pra checar a consistência da pasta e pra dar um descanso pro seu aparelho não esquentar demais. Eu particularmente deixei batendo por uns 3 minutos e quando desliguei já estava bom.
Guarde a manteiga de avelã num pote de vidro e guarde na geladeira.

Rendimento:
Coloquei entre 2 e 3 xícaras de avelãs e rendeu 10 ounces (mais ou menos 290 ml).

*Só arrisque usar o liquidificador se o seu for muito bom, do tipo profissional/industrial. Liquidificadores comuns não aguentam o tranco e também podem nem reduzir a avelã o suficiente pra virar uma pasta =/

UPDATE!
Tentei fazer a mesma receita usando castanhas de caju. O procedimento é o mesmo, mas as castanhas de caju são mais pesadas e soltam menos óleo, então a pasta fica bem mais grossa, mais parecida com a manteiga de amendoim. Se você for usar castanhas de caju ao invés de avelãs, recomendo a adição de um fiozinho de óleo vegetal sem cheiro e sem sabor (eu usei o de abacate) pra ajudar o liquidificador e melhorar a textura.
Agora, se você quiser adicionar castanhas de caju na sua manteiga de avelã, você não precisa se preocupar com óleos contanto que você coloque numa proporção igual ou menor que 50/50. Assim, a avelã solta óleo o suficiente pra você conseguir processar tudo junto.

A textura da manteiga de castanha de caju 100% fica assim

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Receitas from US: paleo crackers

Com saudade de uma torradinha com patê, eu tive que fazer meus próprios crackers low-carb. Usei como base essa receita, mas foi só na terceira adaptação que eu achei que ficou 100% bom!
A minha receita rende bem - pra mim ela dura entre 2 e 3 semanas, mas eu como sozinha - e se você guardar os biscoitos num zip loc bem fechado, eles ficam crocantes até o fim. Se você for dobrar a receita, faça uma de cada vez, pois 1 receita já ocupa toda uma forma. Se você tiver duas  formas e um forno duplo, não tem problema, é só dividir a massa em duas partes.
Ps.: Não se esqueça de usar medidores pra receita dar certo!

Primeira tentativa: ficaram muito grossos e não muito crocantes. Com dip de semente de girassol e patê de atum. 

Você vai precisar de:
1 xícara (chá) de farinha de amêndoa* (usei "almond meal" que é uma farinha de amêndoa mais rústica e mais leve, mas acredito que tanto faz)
1/4 colher (chá) de sal marinho
2 colheres (sopa) de ervas secas de sua preferência (se você gostar com menos "sabor", pode colocar metade)
1 colher (sopa) de água
1 clara
1/4 colher (chá) de óleo de coco (derretido)

Como proceder:
Pré-aqueça o forno a 180C.
Numa tigela, coloque os ingredientes secos e misture. Em outra (menor), misture a água, o óleo e as claras.
Adicione o líquido na mistura de secos, misture bem (com um garfo ou fouet) até formar uma massa uniforme e pastosa. (eu sei, parece que não vai dar certo, mas dá!)


Coloque a massa entre duas folhas de papel manteiga - se for usar 2 folhas de papel, eu recomendo dar uma untada com azeite pois, depois de assada e fria, a massa pode grudar MUITO no papel - ou entre 1 folha de papel manteiga e um silpat, e abra a massa delicadamente com um rolo (eu uso um copo e dá certo) até atingir a espessura do seu gosto (dica: quanto mais fina, melhor!).


Remova a camada de cima de papel manteiga, faça cortes nos formatos desejados usando uma faca lisa ou um cortador de pizza. 
Leve ao forno por 15 minutos (mas considere a espessura da massa também), desligue o fogo e deixe os crackers no forno por mais 5 minutos - ou retire-os se eles já aparentarem estar dourados o suficiente.
Retire a folha de papel manteiga da forma para não suar. Se você tiver usado o silpat, é só desgrudar dele.
Leve os cookies para esfriar numa grelha e quando frios, separe-os nos cortes.
Guardar em ambiente hermeticamente vedado!


* Já usei 2/3 de almond meal e 1/3 de farinha de amendoim e ficou bom também. Vai depender de cada um considerar a "paleoabilidade" do amendoim.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Receitas from US: Cereal matinal low carb

Só quem já morou nos EUA sabe como é difícil sobreviver sem comer cereal de manhã. E olha que eu já vasculhei todas as vastas prateleiras de cereais matinais dos mercados mais próximos em busca de um que fosse mais protéico, e não encontrei nada. Logo, tive que me virar e fazer meu próprio cereal com taxas de carboidratos iguais ou menores que as de proteína.
Pra variar, não há uma receita certa, nem medidas, mas você pode sempre trabalhar como te agrada mais, apenas prestando atenção em manter o equilíbrio: menos frutas (e outros ingredientes ricos em carboidratos) e mais castanhas e sementes, e assim você terá um cereal matinal pulsando de proteínas. O que eu quero dizer: seja razoável nas medidas pra não ter um cereal cheio de gergelim e banana e umas amêndoas aqui e ali.
Com: amêndoas, sementes de girassol e abóbora,  uvas e cerejas passas, coco seco e granola de coco

A dica principal pro cereal parecer um cereal é tentar achar frutas secas crocantes (aqui tem "freeze dried fruits" que são, na maioria crocantes e não "borrachudas" como as passas). No Brasil, achar frutas secas crocantes é tão fácil quanto achar sementes e castanhas em bons preços e variedade - tente ir nos mercados municipais ou, como no caso de São Paulo, os centros de distribuição deles, como a região da Santa Rosa.
Outra dica é acrescentar a granola de coco no seu cereal, pois assim você ganha crocância e proteínas de boa qualidade!
Ok, tudo explicado, vamos lá! A receita - que na verdade é um trail mix - é um resumo de TUDO que eu já coloquei no meu cereal. Você não precisa colocar tudo ao mesmo tempo, pode ir fazendo combinações mais simples.

Frutas crocantes:

  • Banana chips* (por favor, não compre banana chips FRITA! compre banana desidratada crocante, apenas)
  • Maçã chips* (mesma regra; atente também à possível adição de açúcar)
  • Quaisquer frutas crocantes desidratadas a frio, como: blueberry, framboesa, morango, manga, laranja...
  • Coco em flocos grossos ou em fita (experimente torrado também)
  • Granola de coco
Frutas passas:
  • Uva passa
  • Cereja passa
  • Blueberry passa
  • Banana passa*
  • Figos secos*
  • Ameixas secas*
  • Damascos secos*
Sementes:
  • Semente de girassol
  • Semente de abóbora (aqui tem duas variedades)
  • Gergelim
  • Semente de linhaça
  • Semente de cânhamo (acredito que o consumo, mesmo como alimento, seja proibido no Brasil)
Castanhas:
  • Amêndoas*
  • Nozes*
  • Castanhas de caju*
  • Amendoim
  • Avelãs
  • Pecãs*
  • Castanha do Pará*
Pra preparar, você só precisa misturar tudo fazendo um trail mix. Pros ingredientes com *, talvez você precise picar, cortar ou quebrar pra ficar melhor na hora de comer.
Se você comprar as sementes ou castanhas com casca, também vai precisar passar essa parte antes de começar (duh!).

Obs.: Se você sente falta daquela mágica de colocar leite no cereal e ele ficar docinho, use adoçante artificial e ta tudo certo!

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Receitas from US: Dip de semente de girassol

Esse sunflower seed dip é muito fácil, cremoso e saudável! Parece um homus, mas com a vantagem de ser low-carb!

Fica mais verde do que parece, juro!


Use medidores!
Você vai precisar de:
1 e 1/2 xícaras de semente de girassol (pode ser torrada ou crua)
Um punhado de salsa fresca
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
2 dentes de alho
1/4 xícara de água*
Sumo de 1 limão
Sal e pimenta a gosto

Como proceder:
Num processador, coloque as sementes. Bata pulsando até virar uma farofa.
Ligue o processador de forma contínua e vá adicionando o óleo aos poucos enquanto processa. A textura vai ficando mais firme com o óleo, pode até virar uma bola de massa.
Usei um pouco menos que isso
Esprema o alho (pra garantir que não vai ficar nenhum pedacinho inteiro, mesmo processando), coloque no copo do processador e também a salsa. Processe até ficar homogêneo (verdinho).
Se você continuar processando sem parar, vai virar uma massa bem consistente. Então vá adicionando a água aos poucos até ficar cremoso.
Acerte o sal, a pimenta, bata mais um pouco e passe para um recipiente e regue com um pouco de azeite.
Sirva com crudités (talos de salsão, tiras de pepino e cenoura, etc.) ou torradinhas.
Obs.: *depois de gelada, a pasta fica mais firme, então tenha consciência disso na hora de determinar se a cremosidade dela está ao seu gosto.
Obs.2: se você quiser ainda mais semelhança com homus, adicione 1 colher de sopa de tahine.


Sementes + óleo
Depois da água
Com um talinho de salsão